Trabalhar como PJ vale a pena? Entenda aqui!

Entra ano, sai ano e as preocupações continuam as mesmas. Afinal de contas, entre os profissionais liberais, sempre existiu um dilema muito grande sobre o melhor regime tributário. Por isso, aproveitamos o momento para elaborar este post, esclarecendo a escolha de trabalhar como PJ.

Neste conteúdo, explicamos os prós e contras dessa decisão, assim como os cuidados necessários para embarcar nessa jornada, tal como a gestão de documentos e uma boa assistência contábil. Não perca tempo e acompanhe esta leitura para descobrir mais sobre o tema!

As vantagens de trabalhar como PJ

Flexibilidade, controle e remuneração. Da forma como percebemos, esses são os benefícios principais a um profissional PJ. No entanto, você nunca deve confundir a flexibilidade com a falta de disciplina ou ordem, pois são justamente esses elementos que determinam o sucesso da sua carreira enquanto uma Pessoa Jurídica.

Veja, dizemos que a flexibilidade é uma vantagem pois você ganha a possibilidade de moldar a sua empresa às suas percepções e horários, criando uma rotina mais confortável para o exercício da sua profissão, esteja você no campo médico, jurídico, comercial ou afins.

Já o controle é uma vantagem complementar da flexibilidade. Com o próprio escritório, você define as regras que regem a sua marca e filosofia profissional. Com isso, você tem a oportunidade de empregar pessoas imbuídas de atitudes que valoriza.

Por fim, a remuneração, um tema tão polêmico quanto fundamental. No entanto, enquanto profissional-empresário, é importante avaliar com cuidado o formato da sua remuneração, pois diferentes modalidades estão sujeitas à diferentes tributações, como é o caso do pró-labore e da participação nos lucros.

As desvantagens de trabalhar como PJ

Responsabilidade, obrigações e complexidade. De certa forma, essas questões até podem ser relativizadas a ponto de não serem desvantagens, principalmente quando se pode contar com uma boa assistência contábil durante a sua jornada.

Agora, entenda porque dizemos isso, a começar pela responsabilidade. Enquanto PJ, você é o empregador. Enquanto CLT, o empregado. Sendo assim, assumir um CNPJ é assumir um posto de maior responsabilidade tributária e financeira, uma vez que você interfere direta e indiretamente na vida de outras pessoas, os seus colaboradores.

Já as obrigações são desvantagens acessórias da maior responsabilidade. Empregando, você precisará arcar com benefícios e direitos trabalhistas. Ainda que seja um importante papel cívico na sociedade, para quem deseja reduzir gastos, questões como essa podem ser vistas como desvantagens em relação à carteira assinada.

Por fim, a complexidade. Enquanto CLT, a sua única preocupação é declarar o Imposto de Renda — quando já não terceiriza essa tarefa a um contador pessoal. Algo semelhante acontece na rotina de uma empresa. Com o acréscimo de responsabilidades, também crescem o número de exigências perante o Estado. Naturalmente, obedecer a essas condições é fundamental para continuar as suas atividades — o que chamamos de compliance fiscal.

Os cuidados necessários ao trabalhar como PJ

A grosso modo, existem três questões a serem tratadas com cuidado. A primeira delas é a escolha do regime tributário. Tecnicamente, é essa escolha que determina o patamar de tributação sobre o seu faturamento, sendo essencial contar com um profissional experiente para identificar o seu nicho de trabalho e selecionar o melhor regime para a sua atividade, com a menor tributação possível.

Em um segundo momento, surge a necessidade do planejamento, uma rotina organizacional de projeção. Como você pode imaginar, o objetivo de planejar é prospectar as possibilidades futuras, traçando um norte para o crescimento sustentável do seu negócio — novamente, uma tarefa que exige competências contábeis.

Por fim, o controle de contas. Essa é a área que se dedica à organização e transparência do seu caixa, com métodos que priorizam o manuseio ético dos valores e registros das suas contas, evitando misturar despesas pessoais e empresariais, entre outras boas práticas gerenciais.

É em função de tudo isso que se torna tão importante escolha de um bom contador para a supervisão da sua atividade financeira. Assim, você retira todo o estresse de rotinas burocráticas sobre as suas costas, delegando essa tarefa a especialistas do ramo.

E aí, como está o seu interesse em trabalhar como PJ? Para todos os efeitos, vale lembrar que você pode receber mais conteúdos como este diretamente na sua caixa de entrada. Para tanto, é só assinar a nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *